Homem que ameaçou a princesa Catharina-Amalia condenado a três meses de prisão


Um homem de 32 anos foi condenado a três meses de prisão e tratamento obrigatório por enviar mensagens ameaçadoras à herdeira do trono holandês, a princesa Catharina-Amalia. O promotor havia exigido 10 meses de prisão e tratamento obrigatório.

O condenado, conhecido apenas como Wouter G., havia enviado à princesa mensagens de “caráter violento, sexual e amedrontador”, segundo o promotor. Ele teria ameaçado estuprá-la. Ele também ameaçou matar uma das amigas da princesa. Ele disse a ela que a encontraria no Dia do Rei e que "não havia como escapar". Ele também disse que estava economizando para comprar uma arma. As ameaças foram enviadas no início de janeiro deste ano. Ele foi preso no final de janeiro.

Ele será submetido a tratamento obrigatório após ser declarado como tendo capacidade diminuída devido à esquizofrenia. Ele havia desenvolvido uma obsessão doentia pela realeza holandesa, de acordo com o juiz. Como já havia tentado prescindir do tratamento, agora ele se tornou obrigatório com o prazo máximo de quatro anos.

Em uma audiência anterior, Wouter G. disse que escreveu as mensagens, mas as apagou no dia seguinte e acreditava que não as havia enviado.