O governo da Romênia dá à família real o uso gratuito do Palácio Elisabeta




A Família Real Romena recebeu o uso gratuito do Palácio Elisabeta pelo próximo meio século. Esta notícia foi publicada no domingo passado pelo primeiro ministro da república romena, Ludovic Orban. O palácio branco, nos arredores do centro da cidade da capital romena Buchares, serviu como sede da Família Real Romena desde a queda do comunismo.

Em 2001, o Senado romeno aprovou um projeto de lei que afirma que o palácio seria concedido ao antigo rei para uso como residência durante sua vida. Desde então, membros da antiga família real moram lá. Ali são recebidos chefes de Estado, realeza e políticos estrangeiros, além de figuras políticas, culturais, econômicas e acadêmicas romenas quando eventos especiais são realizados. Agora, o palácio foi confirmado como posse real pelos próximos 49 anos.



A partir de 2020, o palácio é a residência oficial de Sua Majestade Margareta, Custodiante da Coroa da Romênia, seu marido, o príncipe Radu e sua irmã, a princesa Maria.

As notícias sobre o arrendamento gratuito vieram na celebração de 10 de maio deste ano, quando o primeiro-ministro romeno, Ludovic Orban, enviou uma calorosa mensagem ao custodiante da Coroa, destacando o importante papel que a família real teve na Romênia no passado e no presente.



Segundo notícias recentes, o Palácio Elisabeta está avaliado em 59 milhões de reais, pouco menos de 10 milhões de dólares. A Casa Real romena agora manterá o direito de usar o Palácio Elisabeta gratuitamente até 2069.

O Palácio Elisabeta foi construído em 1936 e foi projetado em 1930 pelo arquiteto Duiliu Marcu e construído em 1936 pela princesa Elisabeth, filha do rei Fernando I e sua esposa, a rainha Maria. Ela também era tia do rei Michael I, que foi forçado a abdicar em 30 de dezembro de 1947.


Por Oskar Aanmoen, Traduzido por Jorge Gonçalves

Royal Central